PUBLICIDADE
NOTÍCIAS
26/04/2018 às 11:08
Substituído por Thiago Martins no Sorriso Maroto, Bruno Cardoso fala do tratamento do coração.

Nesta quinta-feira (26) faz um mês que, num vídeo nas redes sociais do Sorriso Maroto, Bruno Cardoso anunciou que precisaria se afastar dos palcos para cuidar de um problema no coração. O período de ausência, inicialmente pensado para 45 dias, agora se estende para seis meses.

— Passei por uma biópsia, e um pedaço do meu coração foi levado para um hospital de referência na Alemanha. Minha miocardite não tem causa específica, mas tem cura. O tratamento é longo, com corticoides e medicamentos imunossupressores. Tive que tomar todas as vacinas de novo, porque minha imunidade vai lá pra baixo. A recomendação é o mínimo de esforço possível. Para eu receber visitas em casa, todos vão ter que tirar os sapatos e usar máscaras — detalha Bruno, que vem tendo acompanhamento psicológico:

— Eu já tenho um comportamento otimista perante a vida. A terapia vem só no sentido de me orientar no que eu devo ou não fazer nessa nova rotina. Não teve baque de tristeza, eu levei videogame para brincar no hospital!

Enquanto Bruno se recupera, é o cantor e ator Thiago Martins que assume os vocais do grupo, dentro do projeto #TodosCantamSorriso.

— Topei de cara esse desafio. Eu não podia deixar meus amigos na mão num momento tão delicado — conta Thiago, que abdicou da própria agenda em prol do projeto: — Alguns shows meus caíram, outros viraram nossos. Estamos conciliando tudo com alegria.

Esporadicamente, outros artistas farão participações especiais — Anitta, Thiaguinho, Mumuzinho, Dilsinho, Ferrugem, Marcos & Belutti, Michel Teló e Gusttavo Lima já se colocaram à disposição. Amanhã, eles se apresentam pela primeira vez no Rio, no Ribalta, com essa nova formação, ao lado de Péricles. E a agenda está cheia (veja abaixo).

— Esse primeiro show no Rio vai ser do lado da minha casa. E a vontade de aparecer lá? Daria para ir a pé! Mas o médico falou que eu não posso ter picos de emoção, acaba sendo inviável... — lamenta Bruno.

O primeiro show do Sorriso sem Bruno (e já com Thiago), em 20 anos de história do grupo, foi em 31 de março, dia do aniversário do cantor, na Bahia.

— A sinergia é tanta, que a gente juntou toda a equipe para rezar um Pai-Nosso, e Bruno ligou. Ele sentiu. Entramos no palco com a energia de uma final de Copa do Mundo. Terminamos o show aos prantos — conta o violonista Sérgio Jr.

Thiago teve só três dias para decorar todas as canções:

— Eu era fã, só sabia (as letras) sem ter responsabilidade. Ensaiamos 12 horas por dia.

Segundo os colegas, enquanto Bruno faz o tipo “dramático e romântico”, Thiago “se joga para a galera”. A emoção, contudo, é a mesma. E está cada vez mais à flor da pele.

— Não podemos nos esquecer de que somos o Sorriso. Precisamos mantê-lo no nome da banda e no rosto, custe o que custar — finaliza o tecladista Vinicius Augusto.

undefined

 

Fonte: Extra

COMENTÁRIOS